Um post realmente novo

Olá, Gente Amiga!

Apesar de eu ter muitos motivos para falar de eleições e adorar o assunto, vou falar de outro tipo de circo: MÚSICA! Nada tem me encantado tanto, ultimamente, como Esperanza Spalding. Poderia falar mil coisas sobre ela, mas não vou. Vou gastar teu precioso tempo em proporcionar o prazer da audição dessa moça.

.

.

.

E um em português!!!!

Curtiu, né?

😉

Anúncios

Descobri!

Finalmente sei o que é Tokio Hotel! Para a tristeza das meninas européias, eles já estão fazendo sucesso aqui! E mais: acho que com a popularidade aqui, há mais concorrentes para o posto de “amor-da-vida” dos rapazes da banda. New Kids On The Block? Alguém se lembra?

Rir da desgraça alheia

Já viu os programas tipo “Namoro na TV“? Tem programas especilizados nisso e tem outros que fazem um bloco para isso, enfim. Esse tipo de atração (?!?!?!) consiste em episódios de amigos que fazem as pazes depois de um roubar a mulher do outro, situações que obrigam o sujeito a casar na frente de todo mundo ou gente que faz declarações de amor ao sujeito depois de ele ter traído e dado um pé-na-bunda, enfim. Trágico e humilhante.

Na vida comum, isso já virou moda, apesar de agora estar um pouco caído. Chama-se tele-mico, digo, tele-mensagem. Sabe quando aqueles carros estapafúrdios tocam músicas gemidas na porta do restaurante lotado? Vai dizer: o quadro da dor!!! Piedade e comiseração ao que sofre o tele-mico! (Bem, nem tanto assim: olha o tipo de gente que o cara se relaciona…)

Se alguém me mandasse isso, eu não namoraria, não casaria, não nada. Ao contrário: esse tipo de exposição selaria o fim de quaisquer tipos de relações que eu poderia ter com a referida pessoa. A prova de amor se transformaria em prova de desrespeito. Só me mande tele-mico para confirmar nosso ódio mútuo, ok?

Quando eu vejo algo desse tipo na TV, eu torço para que o cara tome um pé-na-bunda. Torço para que o sujeito se irrite. Torço para que a surpresa vire aborrecimento. Torço para que não case e diga que não tem certeza sobre seus sentimentos. Ora se é prova de amor ficar se expondo por aí! Bá, tá louco! O apresentador do programa fala para o débil-mental que quer “fazer as pazes”: “Vamos fazer uma surpresa inesquecível para ele?” E eu respondo no meu sofá: “Porrada! Porrada! Porrada!”

Isso é romantismo? Será, mesmo?