Ironia? Ironia!

Um monte de gente menciona os problemas de interpretação de texto dos outros. Dizem que essa gente não os entende, que é analfabeto funcional e o escambau. Eu entendo a crítica e, parcialmente, concordo. Quando faço uma ironia entre alguns amigos ou entre os alunos, não sou sempre compreendida, ainda mais porque não mudo muito a expressão na hora de falar a bobagem — e a ironia tem a ver com isso mesmo.

Mas ok. Nem todo mundo vai entender e tá, é assim mesmo. O que às vezes é mais chato do que a incompreensão simples e corriqueira é fazer uma brincadeira com um amigo online. O amigo X vai até uma plataforma de compartilhamento, vê um comentário do amigo Y e faz uma piada — muito menos irônica do que a piada que o amigo X costuma fazer pessoalmente. Olha só: caso corriqueiro, né? Amigos entendem suas ironias e captam a mensagem.

Não. O amigo Y não entende a piada do amigo X. Não importa a relação chistosa que eles tenham tido até esse dia. Tampouco importa a falta de interpretação de texto: esse é um problema dos outros. E o amigo Y fica brabinho e mimimi.

O amigo Y nem inteligente é. Sabe por quê? Porque pode dar a entender que sacou a ironia do amigo X, mesmo no caso de o amigo X não ter feito uma ironia e ter tido vontade de sacanear o comentário compartilhado. E, daí, após o engodo inicial, todo mundo se emburra e empaca.

Faz bastante tempo que não passo por uma situação dessas. Mas tenho a impressão de que sempre passei por isso com algum humor. O fato é que vejo esse tipo de situação acontecer todos os dias, me sinto com vergonha alheia de quem fica brabinho com coisas tão insólitas e inofensivas. Quando vou escrever algo no Facebook, piso em ovos e cogito todo o tipo de deturpação que haja com uma frasesinha tosquinha escrita, que o amigo X ou o amigo Y possa desconfiar que a tal frase tenha sido postada para ele. Na verdade, tudo o que gostaria de compartilhar é do mundo, é só um ponto de vista, como diz esse blogue, é só algum olhar. Geralmente tosco, engraçado e ofensivo, mas de ninguém em especial. Mas ofensivo pela brincadeira, não pela mazela de alguém.

Então, começo a pensar que os problemas não são de interpretação de texto, mas de aceitação e bom humor. Se alguém me avacalha com ou sem ironia, por que não posso rir disso? É lógico que, no meio disso, há limites. Não se pode desqualificar ninguém por um traço discriminatório, por exemplo. Não entendo sempre a piadoca, mas me esforço para que o primeiro entendimento seja uma brincadeira.

Mas esse post quer, pelamordedeus!, pedir encarecidamente que as pessoas tenham mais bom humor, mesmo nos casos de alfinetadas diretas. Que vocês e eu não fiquemos revidando indiretas e que a gente tenha muito espírito esportivo. Sabe? Isso facilita a vida de todo mundo e evita uma porção de vergonhas-alheias por aí.

Às vezes, sou ranzinza, também. E também não entendo as coisas. Mas quero compartilhar esse ranço para a gente tentar se ligar e ficar numa relax, numa tranquila, numa boa.

Image

1 Comentário (+add yours?)

  1. musicaefantasia
    Ago 06, 2013 @ 10:18:41

    Reflexão muito interessante, pessoalmente significativa e clara, sem recorrer a psicologismos ou ao jargão das teorias da comunicação.

    Parabéns !

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: