Letra simples, canção sem inovações: que lindo!

Olha, estou cheia de coisas para escrever: sobre o filme o Segredo dos seus olhos, sobre o Ciro sair da corrida presidencial, sobre a Dilma dançar o rebolation… Mas não falarei. Deixarei meus leitores com a canção do Skank, escrita pelo Samuel Rosa e pelo Nando Reis. Letra bonitinha, canção simples: nada de novo. Mas a subjetividade é um lance estranho. Pelo critério subjetivo a canção é ótima. Linda, mesmo.

E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
Quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
Quando eu estiver fogo
Suavemente se encaixe

E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
E quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
E quando eu estiver bobo
Sutilmente disfarce
Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate, não
Dentro de ti, dentro de ti

Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti
Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: