Filme, Michael, Inter, Twitter, CQC

Nossa, faz tanto tempo que não venho aqui, que os assuntos são muitos! Já escrevi o título em tópicos, para facilitar minha lógica e meu raciocínio.

Sobre o Michael Jackson, fiquei muito chocada. Eu e o mundo inteiro, eu sei. Mas o que eu acho é que ele realmente deveria morrer logo. Mas DEPOIS de fazer os shows que tinha marcado, depois de ter o orgulho de mostrar quem um dia foi MJ para seus filhos, depois de ter novamente a sensação de que é rei. Acho que ele tinha o direito de terminar sua vida com a sensação de dever cumprido. É claro que ninguém morre com essa sensação plenamente satisfeita, mas poderia ser “quase plenamente” satisfeita, no caso do Michael, oras. O cara não era um sujeito normal; mas se olharmos em volta, o que é ser normal, mesmo? As pessoas mais felizes que conheço vivem uma vida não convencional e precisaram fazer muitas coisas não convencionais para estar em paz consigo. Logo, a noção de felicidade desse cara não deveria ser o que era para a maioria, ou o que um dia se convencionou ser felicidade. Fora as questões de pedofilia, traumas, dívidas, que — convenhamos — são histórias muito mundo cão e que poderiam ser poupadas, pois a medida que elas chegam, chegam distorções e histórias mal contadas. Mas o artista Michael Jackson foi gigantesco e eu ainda penso que não só ele mesmo, mas também o Jackson 5, foram dos fenômenos mais revolucionários da música do século XX.

Filme? Vi Quem quer ser um milionário? no sábado.  Eu sei que é um comentário tardio sobre um fenômeno, mas eu adorei. ADOREI, mesmo! O ator, Dev Patel, foi muito bem, apesar de não ter sido indicado para muitas coisas. História bem feita, excelentes atuações, linda fotografia. Ainda não sei o que me segurou e me tocou tanto no filme. Estou com vontade de falar sobre ele para todo mundo (lembro de uma passagem bíblica: “tenho de falar de ti, ai de mim se não o faço”, bem assim que sinto) e de recomendar a quatro ventos, mas parece que todo mundo já viu. E daí cheguei atrasada de novo. Hehehehe O que me comoveu? Não sei. Mas eu realmente achei uma obra-prima e estou tocada pela obra até agora. Se minha opinião serve de algo, acho que ver esse filme é ver um pedaço de humanidade dissecado. Me senti igual quando vi Babel. Outro filme necessário.

Twitter: entrei. Pronto. Estou lá e falo merda. (Como dia a Fernanda Young, Twitter não serve para ser interessante.) Quando eu for uma pessoa mais interessante, farei comentários edificantes e engajados. Por hora, comento sobre a janta, o trabalho e o nada. Quer dizer, sobre as coisas triviais e cotidianas. Um twitter de mulherzinha, praticamente. Mas se quiser, pode ir lá: http://twitter.com/ninaantonioli

Inter: olha, eu avisei: se tomar um gol, perde tudo. Tomou o gol, arriou as pernas e o Curintia ganhou a Copa do Brasil. Eu penso que o nosso Taison é um excelente jogador, mas acho que o guri é muito verde para decisões e situações com time grande. Acho que os jogadores colorados estavam muito nervosinhos, também. Tipo, diante da pressão, é preciso saber canalizar a raiva e a competitividade. Acho que terminaram o jogo com dignidade, que foi uma equipe que foi forte e acho que é mesmo mais habilidosa que o Curintia. Mas eu penso que a moral estava no lado paulista. A insegurança é um mal que deve ser aproveitado para dar um passo a frente e crescer. Espero que o time veja por esse lado.

Sobre o CQC! Tchê! A-DO-RO! Eu nunca tive essa relação com um programa de TV. Perder um programa de TV nunca foi uma coisa tão horrível. Lembro que eu ia viajar no último capítulo da novela, que no dia que se descobria o assassino eu ficava lendo e assim por diante. Mas minha fixação pelo CQC é tão forte, que eu paro tudo e fico assistindo. Muito tri! Acho que os caras estão incomodando as pessoas ligadas à política, porque as agressões que tem sofrido é um forte indício disso. Além de terem popularidade até com o Presidente! Essa semana rolou violência com o Felipe Andreolli (repórter do CQC) aqui em Porto Alegre. Ontem! No jogo do Colorado. Meus companheiros de torcida mostraram-se estúpidos e idiotas agindo com violência com o cara. Eu fico comvergonha, porque acho de última qualquer razão que leve o desentendimento para a violência. Mas o fato é que gente idiota há em qualquer parte. E essa gente idiota habita estádios, assembleias legislativas, supermercados, ruas e é gente que não sabe brincar. O mesmo no Senado Federal. Com a história do #forasarney no Twitter e no país inteiro, além de milhares de manifestações políticas e civis pelo país, o Sir Ney caiu. Quer dizer, pediu licença, para poder continuar ganhando seu salário. Porém, quando foi averiguar a respeito disso, Danilo Gentili, também repórter do CQC, foi agredido pelo segurança pessoal do tio esse. O Danilo Gentili só faz pergunta cretina, é verdade.  É verdade, também, que eu queria ter culhão como ele tem para pedir o que ele pede aos políticos. Mas volto a dizer que NADA  explica a agressão. Deixa o Danilo Gentili entrevistar, pôxa! Se não quiser, não responde, tio. Agora, eu acho que é ótimo ter um humor inteligente e que engaje o povo a olhar para a política, como faz o CQC. Eu acho que a política é vista como um engodo e eles tornam a coisa palatável. Eu adoro política, mas sentia falta da leveza  na TV para tratar do tema, como eles tratam. Agora, não sinto mais. Bem, o serviço é: CQC na Band, todas as segundas 22h e a reprise nos sábados é 20h.

Comentários? Tou aceitando e esperando!

Divirtam-se, niños!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: